3 Vestindo o seu Poder: Vampiros energéticos

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Vampiros energéticos


Cada um de nós possui um padrão energético, determinado pelo tipo de pensamento, sentimento e condição física. Emanamos o tempo todo energia para o ambiente, e impregnamos o local onde estamos e as pessoas que por ali circulam com nossas vibrações. Isso explica muitas vezes, a antipatia em relação a uma pessoa sem ao menos termos tido algum tipo de contato mais próximo com ela: o que ocorreu foi uma incompatibilidade energética.

Os vampiros energéticos são seres que se alimentam das energias alheias das pessoas, animais, plantas e até lugares. Estas pessoas não conseguem absorver energia de forma natural e então passam, mesmo que inconscientemente, a absorver a energia das pessoas com as quais relaciona. Não devemos julgá-las como más, pois muitas vezes a pessoa nem “se tocou” de como seu comportamento, seus pensamentos e suas ações, são nocivas principalmente para elas mesmas.

Existe o tipo de vampiro que tem consciência do que está fazendo e faz porque ele não consegue parar e existe o tipo de vampiro mais perigoso que é aquele que não tem consciência do que está fazendo, achando que está certo e o outro é que está errado. Quando desmascarado esse tipo fica agressivo, resistente e nega, porque ele percebe que está perdendo o controle da situação e ele tenta reverter isso a qualquer custo, sugando ainda mais a presa.

Os sintomas físicos da vampirização costumam ser a sonolência excessiva, cansaço de repente, a prostração, bocejar a todo momento, irritação, sudorese muito grande. Se alguma vez, ao se aproximar ou ver uma pessoa, sentir um certo desconforto interior, um certo frio na barriga, você pode estar sendo drenado.

Atenção para identificar alguns tipos de vampiros:

Adulador: São pessoas extremamente sedutoras, sempre falam o que você quer ouvir, estão disponíveis a todo o momento, elogiam demais, sempre concordam com o que você fala, bajulador, você percebe que tudo nele é falso mas por carência você o aceita.

Critico: Vê maledicência em tudo. Está sempre criticando, vendo o lado sombrio de tudo.
Reclamador: Sempre reclamão, queixoso, sempre pessimista a respeito de tudo: o governo, a sociedade, do tempo, etc.

Inquiridor: Dispara perguntas sobre tudo, fala demais, não deixa os outros falarem.
Lamentador: Sempre se sente a vitima, alega que todos o prejudicam, chora anos a fio suas desgraças, é sempre o injustiçado.

Narcisita: Se acha o máximo, se julga perfeito o tempo inteiro, pisa em quem está embaixo.

Pegajoso: Sempre gruda em você, tanto fisicamente te tocando o tempo todo, quanto emocionalmente, querendo estar ao seu lado e participando da sua vida o tempo todo.

As pessoas que mais facilmente caem nas presas dos vampiros são as pessoas carentes emocionais, com baixa autoestima, inseguras, que sentem a necessidade de estarem cercadas por alguém, ainda que este seja um vampiro.

Se possível o afastamento dessas pessoas, ótimo. Se não for possível o ideal é aprender a lidar com eles, não entrar no seu jogo, não concordar com o que eles dizem. Ter nossa segurança interior, ficarmos calmos diante de uma provocação, mantermos o bom humor, cultivar nossa compaixão, afinal os vampiros são pessoas em desequilíbrio que se fortalecem daquilo que você dá a eles.


Não apontar o dedo é muito importante, pois antes de julgarmos devemos fazer um auto-exame: como estão nossos pensamentos? Nossas emoções? Nossa maneira de lidarmos com as outras pessoas? Será que de repente, sem percebermos, não podemos estar sendo vampiros das pessoas com quem lidamos também?