3 Vestindo o seu Poder: Contos Zen: Dádivas Ocultas

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Contos Zen: Dádivas Ocultas

Um homem tinha um belo cavalo, e o cavalo era tão raro que até mesmo imperadores haviam pedido ao homem que o vendesse, pelo preço que quisesse, mas ele sempre recusou. Uma manhã ele descobriu que o cavalo havia sido roubado. Todos no vilarejo se juntaram e disseram: “Como você é azarado! Você poderia ter ganhado uma fortuna. Mas você foi teimoso e tolo. Agora seu cavalo foi roubado e você não tem mais nada”.
O homem, contudo apenas riu e falou: “Não digam besteiras! Digam apenas que o cavalo não está mais no estábulo. Deixem o tempo passar, então veremos”.
Quinze dias depois o cavalo voltou, e não estava sozinho. Trouxe consigo mais de uma dezena de cavalos selvagens que viviam na floresta. Todos no vilarejo se juntaram e disseram: “Ele estava certo. Seu cavalo voltou e trouxe mais doze lindos cavalos. Agora ele pode ganhar todo o dinheiro que desejar”.
Ele disse: “Não digam besteiras! Tudo o que sei é que o cavalo voltou com doze cavalos. Ninguém sabe o que vai acontecer.”
No dia seguinte o único filho desse homem estava tentando montar um dos novos cavalos quando caiu e quebrou as duas pernas. Mais uma vez se juntaram e disseram: “Os cavalos foram uma maldição, seria melhor que seu cavalo não tivesse voltado. Agora seu filho ficará aleijado para sempre”.
O homem respondeu: “Não tirem conclusões precipitadas. Apenas podemos dizer que meu filho quebrou as suas pernas, é tudo”.
Algumas semanas mais tarde, todos os jovens do vilarejo foram levados à força pelo governo, porque o país estava prestes a entrar em guerra. Apenas o filho desse homem ficou, pois não servia para marchar. Todos se juntaram e disseram: “Nossos filhos foram levados! Pelo menos você ficou com o seu. Ainda que ele esteja aleijado, ele está aqui. Nossos filhos se foram e o inimigo é mais forte, eles serão mortos”.
Mas o homem disse: “ Digam apenas que seus filhos forma levados pelo governo. Meu filho ficou, mas não se pode concluir nada além disso.”
Limite-se aos fatos. Não pense nas coisas como uma maldição ou uma benção. Não as interprete e, subitamente, você verá que tudo é belo.
O Livro da Transformação, Osho